Academia Niteroiense de Letras

 


 

Menu

 

Diretoria

Conselho Fiscal

Histórico

Patronos

Atuais Acadêmicos

Ex-Acadêmicos

Principais eventos

Biblioteca

Programação

Endereço

Trabalhos Literários

Revista Virtual

Fale Conosco

 

 


Perfis biográficos


Por Wanderlino Teixeira Leite Netto

wanderlinotlnetto@gmail.com

wanderlino


    


Geraldo Bezerra de Menezes (atual ocupante da Cadeira 16)

 

Nasceu em Niterói (RJ), no dia 15 de julho de 1946. Alfabetizou-se no Colégio Pio XI, cursou o primário no Externato Aragão, o ginasial no Colégio Salesiano de Santa Rosa, o clássico no Colégio Bittencourt Silva, todos localizados em sua terra natal. Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal Fluminense – UFF (de 1964 a 1968). Também na UFF, licenciou-se em Ciências Sociais. Advogado com especialização em Direito do Trabalho. Jornalista profissional, atuou no Jornal do Brasil e também em O Dia. Redator do Quadro Permanente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) desde 1964. Participou da Comissão de Estudo para Alteração do Prejulgado nº 33 do TST. (Rio de Janeiro, 1969). Ocupou o cargo de secretário da presidência do TST (Rio de Janeiro e Brasília, 1969 / 1971). Integrou banca examinadora para transferência de cargos de servidores do TST (Rio de Janeiro, 1970). Realizou, no Colégio Estadual da Polícia Militar, ciclo de palestras sobre a evolução constitucional do Brasil (1972). Foi colaborador especial da pesquisa “A influência da vida universitária sobre o estudante”, realizada pelo professor Santo Conterato, da UFF, sob orientação do professor Peter McDonough, Ph.D. da Universidade de Michigan (1972). Lecionou História Contemporânea no Colégio Plínio Leite (Niterói, 1973). Ex-diretor da Associação Fluminense de Advogados Trabalhistas. Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil/seção Rio de Janeiro) em dois mandatos, ocupou também o cargo de secretário da Comissão de Direitos Humanos, e participou da Comissão de Exame. Exerceu a função de relator do Regimento Interno da Comissão de Direitos Humanos da OAB / seção Rio de Janeiro, que veio a ser aprovado pelo plenário da instituição por unanimidade de votos. Ainda na OAB / seção Rio de Janeiro, colaborou com artigos na Revista da ESA – Escola Superior de Advocacia da OAB – RJ, assim como no órgão oficial da entidade. No Centro Cultural Brasil – Estados Unidos, cursou inglês básico (de 1961 a 1965) e de conversação (de 1965 a 1966). Concluiu, ainda, os seguintes cursos: Prática Forense (UFF, 1964); Prevenção ao Crime (convênio UFF / Secretaria de Interior e Justiça do Rio de Janeiro, 1965); Prático de Direito Judiciário Civil (UFF, 1966 / 1967); Literatura Contemporânea (Departamento de Cultura do Estado da Guanabara, 1973); Mac Luhan, a Comunicação e a História (Departamento de Cultura do Estado da Guanabara, 1973); O novo homem e a nova História (Faculdade de Direito Cândido Mendes, 1973); Semiologia e Comunicação (Departamento de Cultura da Secretaria de Cultura, Desportos e Turismo do Estado da Guanabara, 1973); e Psicanálise e Comunicação (Departamento de Cultura da Secretaria de Cultura, Desportos e Turismo do Estado da Guanabara, 1973). Participou dos seguintes eventos: “1ª Semana Jurídica” (1967) e “2ª Semana Jurídica” (1968), ambos por conta do Convênio UFF / Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro; “Simpósio de Conferências e Debates sobre o Código Penal Militar” (Ordem dos Advogados do Brasil, 1970); e “Seminário de Currículo do Ensino Fundamental” (Governo do Estado do Rio de Janeiro, 1973). Foi agraciado com medalha comemorativa da instalação do Tribunal Superior do Trabalho na capital federal e do trigésimo aniversário da criação da Justiça do Trabalho no País (outorgante: Tribunal Superior do Trabalho, 1971). Recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo, categoria Equipe (concedido pela Esso Brasileira de Petróleo Ltda., 1988). Foi laureado com o Prêmio FENAJ de Jornalismo, categoria Equipe (concedido pela Federação Nacional dos Jornalistas Profissionais, Brasília, DF, 1989). No AFAT Notícias, órgão oficial da Associação Fluminense de Advogados Trabalhistas, assinou por mais de quatro anos a coluna “Data Venia”. Coautor do livro “CPI – Os novos comitês de salvação pública”, sob a coordenação do advogado Antônio Carlos Barandier (1ª edição, 2001; 2ª edição, 2002). Organizador do livro Apóstolo da Justiça Social (Geraldo Bezerra de Menezes) – (Editora Muiraquitã. 2015). É filiado à Academia Fluminense de Letras.