Academia Niteroiense de Letras

 


 

Menu

 

Diretoria

Conselho Fiscal

Histórico

Patronos

Atuais Acadêmicos

Ex-Acadêmicos

Principais eventos

Biblioteca

Programação

Endereço

Trabalhos Literários

Revista Virtual

Fale Conosco

 

 


Perfis biográficos


Por Wanderlino Teixeira Leite Netto

wanderlinotlnetto@gmail.com

wanderlino


    


Marco Americo Lucchesi (atual ocupante da Cadeira 27)

 Nasceu na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em 9 de dezembro de 1963. Poeta, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Colégio do Brasil, ensaísta, tradutor, ficcionista, dramaturgo. Formado em História pela Universidade Federal Fluminense. Doutor em Ciência da Literatura pela UFRJ e pós-doutor em Filosofia da Renascença pela Universidade de Colônia (Alemanha). Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Foi editor da Coordenação Geral de Pesquisa e Editoração da Biblioteca Nacional. Diretor acadêmico do Colégio do Brasil e professor visitante de diversas universidades na Europa e na América Latina. Editor da Revista Brasileira, da Academia Brasileira de Letras. Por vários anos, editou a revista Poesia Sempre, da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro), a Revista Tempo Brasileiro e a revista Mosaico Italiano. Colunista do jornal O Globo, colabora com a imprensa cultural no País e no exterior. Dirige a Coleção de Poesia e de Clássicos da Editora Rocco. Participou da criação da Universidade do Professor, no Estado do Paraná, e da organização de seminários para o Centro Cultural Banco do Brasil e para a Fundação Niteroiense de Arte. Por ocasião desse evento, publicou a Machadiana da instituição e o fac-símile do jornal O Espelho. Foi curador das exposições “Machado de Assis, Cem Anos de uma Cartografia Inacabada" (Biblioteca Nacional, 2008), “Uma Poética do Espaço Brasileiro” (sobre Euclides da Cunha, 2009) e “Biblioteca Nacional 200 Anos: uma Defesa do Infinito” (2010). Participou do júri do Prêmio Camões, do Prêmio Massarosa e do Prêmio Napoli. Já publicou os seguintes livros: Breve introdução ao Inferno de Dante (1985); Faces da utopia (1992); A paixão do infinito (1994); Saudades do Paraíso (1997); O sorriso do caos (1997); Bizâncio (1997); Teatro alquímico (1999 – Prêmio Eduardo Frieiro 2000, outorgado pela Academia Mineira de Letras); Os olhos do deserto (2000 – Comenda Espatario da Trebizonda, outorgada pela Ordem dos Cavaleiros de Santo Eugênio da Trebizonda, Itália); Poemas reunidos (2000 – finalista do Prêmio Jabuti 2002, concedido pela Câmara Brasileira do Livro, São Paulo, SP); Sphera (2003 – Menção Honrosa do Prêmio Jabuti 2004; Prêmio UBE de Poesia Da Costa e Silva 2004, concedido pela União Brasileira de Escritores, Rio de Janeiro; pré-finalista do Prêmio Portugal Telecom de Literatura 2004, promovido pela Empresa Portuguesa de Telecomunicações); Meridiano celeste & bestiário (2006 – Prêmio Alphonsus de Guimaraens 2006, concedido pela Fundação Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, RJ; finalista do Prêmio Jabuti 2007); A memória de Ulisses (2006 – Prêmio João Fagundes de Meneses 2007, concedido pela União Brasileira de Escritores); Ficções de um gabinete ocidental (2009 – Prêmio Ars Latina, concedido pelo Governo da Romênia, e Prêmio UBE, pela União Brasileira de Escritores); O dom do crime (2010 – Prêmio Machado de Assis, concedido pela União Brasileira de Escritores; finalista do Prêmio São Paulo de Literatura, concedido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo; segundo lugar do Prêmio Brasília de Literatura, concedido pela Bienal Brasil do Livro e da Literatura, DF); Nove cartas sobre a Divina Comédia (2013); e O bibliotecário do imperador (romance, 2013). Livros publicados em italiano: Poesie (1999; Prêmio Cilento 1999, concedido pela Cidade de Cilento, Itália); Lucca dentro (2002; Prêmio da Câmara de Comércio de Lucca, Itália); Hyades (2004); e La gioia del dolor. Organizou as edições destas obras: Jerusalém libertada (de Torquato Tasso); Artaud: a nostalgia do mais (1989); Giacomo Leopardi – poesia e prosa (1996); Jerusalém Libertada (de Torquato Tasso, 1998); Caminhos do Islã (2002; indicado ao Prêmio Portugal Telecom 2003); Viagem a Florença (Cartas de Nise da Silveira a Marco Lucchesi, 2003); O Canto da Unidade: em torno da Poética de Rûmî (2007; Prêmio Mário Barata da UBE, concedido pela União Brasileira de Escritores; finalista do Prêmio Jabuti 2008); entre outras. Traduziu os seguintes livros: A ilha do dia anterior (finalista do Prêmio Jabuti 1996) e Baudolino (finalista do Prêmio Jabuti 2002), ambos de Umberto Eco; A ciência nova, de Giambattista Vico (Prêmio União Latina 2000, concedido pela União Latina, Madri, Espanha; Premio Speciale del Presidente della Repubblica Carlo Ciampi: Prometeo d’Argento, concedido pelo Gabinete da Presidência da República da Itália); Poemas à noite, de Rilke e Trakl (Prêmio Paulo Rónai 1996, concedido pela Fundação Biblioteca Nacional); Poemas de Khliebnikov; Três histórias, de Patrick Süskind; Esboço do julgamento universal, de Alfieri; A trégua, de Primo Levi; A sombra do Amado – poemas de Rûmî (Prêmio Jabuti 2001); Caligrafia silenciosa, de George Popescu; Presto con fuoco, de Roberto Cotroneo; A Teologia mística, de Pseudo-Dionisio Areopagita; e os versos de Iuri Jivago, do romance Doutor Jivago, de Boris Pasternak. Organizou as edições fac-símiles de A divina proporção, de Luca Pacioli, e obras do Período Colonial, tais como Frutas do Brasil, de Frei Antonio do Rosário, A língua de Angola, de Pedro Dias, Oração apodixica, de Diogo Gomes Carneiro, Medicina teológica, de Francisco de Melo Franco. Foi agraciado com as seguintes honrarias: Premio Nazionale per la traduzione (concedido pelo Ministero dei Beni Culturali, Itália, 2001); Prêmio Alceu Amoroso Lima: Poesia e Liberdade, pelo conjunto da obra poética (concedido pelo Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, Petrópolis, RJ, 2008); Título de Cavaliere della Stella della Solidarietà della Repubblica Italiana (conferido pelo presidente da República da Itália); Prêmio Lauro Dantesco (concedido pela Secretaria da Cultura da Cidade de Ravenna, Itália); Prêmio Marin Sorescu (concedido pela Academia Romena de Letras e Secretaria da Cultura da Cidade de Craiova, Romênia); Diploma de Mérito da UBE (outorgante: União Brasileira de Escritores); Premio San Paolo – Città di Torino (concedido pela Associazione Letteraria di Treviso, Itália); além das seguintes medalhas: do Mérito Cultural Geraldo Bezerra de Meneses (outorgante: Secretaria Municipal de Cultura de Niterói, RJ); José Cândido de Carvalho (outorgante: Câmara Municipal de Niterói); Associazione Lucchesi nel Mondo (outorgante: a própria Associação, Itália); e da Academia Maranhense de Letras (outorgante: a própria instituição). Integra os quadros de outras instituições: Academia Brasileira de Letras; Accademia Lucchese delle Scienze Lettere e Arti; Pen Clube do Brasil; Sociedade Brasileira de Geografia; Academia Fluminense de Letras; Cenáculo Fluminense de História e Letras; e Instituto Histórico e Geográfico de Niterói. Tem textos publicados em diversas antologias. Seus livros foram traduzidos para o romeno (por George Popescu), para o persa (por Rafi Moussav), para o alemão (por Curt Meyer-Claso), para o sueco (por Marcia Cavalcanti Schuback), para o árabe (por Safa Jubran) e para o russo (por Zóia Prestes).

          

Para voltar ao índice geral, clique em Revista Virtual na coluna da esquerda acima. 

Para voltar ao índice desta revista, clique AQUI.